A origem do vinho Champagne

Se hoje associamos instantaneamente o seu nome ao vinho espumante homónimo, a palavra Champagne designa inicialmente uma região que só produz Champagne há alguns séculos. Champagne, no entanto, é uma região vitivinícola desde o Império Romano e produzia vinhos de prestígio, embora ainda não fossem espumantes o tempo todo.

Podemos de fato pensar em Clóvis, Rei dos Francos, que escolheu o vinho Champagne para celebrar o seu baptismo pelo Bispo de Reims em 496. Muitos outros reis de França (33 no total) foram posteriormente coroados na Catedral de Reims, o que ajudou a manter o reputação deste vinho. Aqui não sabemos com precisão se o vinho Champagne era efervescente ou não, mas o certo é que não existia nenhum método para regular a sua efervescência.

O mito do Champagne como vinho espumante começa com o monge Dom Pérignon, que dizem ter descoberto como fazer os vinhos brilharem através de um processo de fermentação. Se não o pudermos estabelecer com certeza (parece que o vinho já era espumante na região, e em outras vinhas da França dependendo dos métodos de vinificação), podemos sem dúvida afirmar que teve um impacto considerável no desenvolvimento deste vinho com bolhas douradas.

Foi na sua abadia de Hautvilliers que, tal como outros monges como Dom Ruinart que também teve um papel notável, Dom Pérignon aperfeiçoou os métodos de vinificação do Champagne. Ao longo dos séculos, os métodos de vinificação tornaram-se mais precisos e a qualidade dos vinhos melhorou.

Uma qualidade que hoje é acompanhada de perto pela denominação Champagne que impõe especificações geográficas e qualitativas aos produtores que desejam beneficiar desta prestigiada menção.

Um sucesso mundial

Uma vez lançado, não há como parar o crescente sucesso do Champagne!

Em primeiro lugar, os comerciantes do século XVIII, entre os quais Claude Moët e Florens-Louis Heidsieck, que apresentaram o Champanhe na corte de Versalhes para o tornar conhecido em todo o mundo.

Depois, temos a Veuve Cliquot que exportou o seu champanhe para o mercado russo e que inventou o champanhe rosé, bem como a mesa de enigmas com Antoine de Müller. Podemos também mencionar o percurso da Viúva Pommery que, durante o século XIX, participou fortemente no desenvolvimento do Champagne em todo o mundo através da promoção dos vinhos da sua casa.

Hoje, personalidades como o rapper e empresário Jay Z continuam a destacar as casas de Champagne e assim promover a denominação em todo o mundo… Tanto que hoje o Champagne também pode ser considerado um vinho de prestígio do que um produto de ostentação, cabe a você juiz!

Um vinho festivo

A história do Champagne está intrinsecamente ligada a cerimonias e celebrações. Ao longo das gerações, os reis e a aristocracia dominante francesa associaram o champanhe como o seu vinho preferido.

Foi quando Louis XV autorizou seu transporte em garrafas e não mais em barris que as bolhas começaram a ser melhor preservadas e o Champagne definitivamente conquistou sua nobreza (desde o final do século XVII, os monges de Champagne dominavam cada vez mais as técnicas de vinificação do Champagne). A partir desse período, o Champagne começou a ser exportado além das fronteiras e não demorou a conquistar todos os continentes, tornando-se um dos símbolos do luxo francês.

Pelas suas bolhas finas, pela sua substância arejada e pelos seus aromas muito leves de frutas brancas, o Champagne é um daqueles vinhos que podem ser degustados « sozinhos », portanto, sem comer. Assim, é mais provável que sejam apreciados à noite e em festas. O seu prestígio, o seu requinte e a famosa rolha que salta ao abrir são também elementos que fazem dele o vinho festivo por excelência.

O próprio Napoleão disse: “Não posso viver sem champanhe, em caso de vitória, eu mereço; em caso de derrota, eu preciso disso.” Como todo álcool, conforta nos momentos difíceis, mas é mais alegre nos momentos bons.

Combinações com o champanhe

Finalmente, festejar não significa não comer.

O champanhe é também um vinho que acompanha muito bem as refeições festivas, e em particular as refeições de Natal, como as refeições de Ano Novo! Dependendo dos diferentes tipos de champanhe, as combinações de comida e vinho serão diferentes.

Um Champagne Blanc de Blancs, costuma-se saboreá-los como aperitivo ou com pratos que apresentem uma bela vivacidade. Pensamos imediatamente num prato de marisco, num carpaccio de vieiras ou num salmão fumado acompanhado de limão e crème fraîche. Em outro registro, uma travessa de queijos vai muito bem com um bom Blanc de Blancs.

Para um Blanc de Noirs, mais frutado e opulento, pode optar por pratos com um pouco mais de carácter: foie gras, carnes brancas recheadas no forno tipo capão com frutos secos ou peru com castanhas, tarte de frutos vermelhos, etc.

Quanto ao Champagne rosé, encontramos um perfil mais potente e frutado, nomeadamente pela associação do Champagne ao vinho tinto (blended rosé) ou à maceração das uvas pretas com as películas (bleeding rosé). Portanto, será adequado combiná-lo com pratos mais potentes como cordeiro ou pato. Também será bem-vindo na sobremesa para acompanhar tortas de frutas ou saladas de frutas.

Por último, os champanhes brutos são os mais versáteis, mesmo que geralmente concordemos em saboreá-los como aperitivo ou sozinhos após o término da refeição.

O que diz Pierre (Fundador da Descobrindo a Normandia)

No passeio da Champagne, iremos conhecer os locais mais importantes sobre a origem do vinho Champagne.
Iremos visitar a abadia de Dom Perignon, onde um dos principais contribuintes para a preservação desse magnífico edifício é a renomada Maison Moët & Chandon.

Conheceremos também algumas inovaçoes criadas em Reims, na caves de Crayères. Uma importante criaçao foi o Rosé por Madame Ponsardin (A viuva Clicquot)

Iremos visitar também a catedral de Reims. É sempre surprendente ver como a religão influencou a Champagne e vice versa.

Se tiver mais tempo, sera um prazer realizar um roteiro de alguns dias para ver e conhecer mais caves de Champagne

Por falar nisso, você sabe qual a taça ideal para degustar o Champagne ?

Submit your review
1
2
3
4
5
Submit
     
Cancel

Create your own review

Descobrindo a Normandia
Average rating:  
 0 reviews

@descobrindoanormandia

Explore os encantos da Normandia conosco! Siga nosso Instagram @descobrindoanormandia para descobrir os segredos e maravilhas desta e de outras regiões! 🗺️✨ #DescobrindoANormandia