Aniversários, inaugurações, Ano Novo, toda e qualquer celebração são oportunidades para abrir uma garrafa de champanhe.

Como aperitivo ou sobremesa, há sempre uma tacinha para degustar. Muito difícil resistir a essas bolhas dançantes e hipnotizantes, com moderação, claro.

Durante séculos, o povo Champenois (quem vem da região de Champagne-Ardenne, no noroeste da França) lutou para que o seu precioso vinho fosse reconhecido na França e em todo o mundo. Uma batalha que remonta ao século XIX, pois foi em 1887 que o champanhe beneficiou de um decreto do Tribunal de Angers que só reconhecia como champanhe os vinhos provenientes da região de Champagne. A partir de 1941, o comitê interprofissional de vinhos de Champagne batalhou para proteger o nome em todo o mundo.

O champanhe é portanto um vinho nobre, senão o mais nobre, com uma história rica. Não se deve degusta-lo em qualquer recipiente e se a sua história é rica, a da taça designada é igualmente rica.

A coupe de champagne e o seio feminino

« Champagne é o único vinho que deixa a mulher bonita, depois de bebê-lo » Madame de Pompadour

Existe uma grande lenda em torno da taça de champanhe.

Seu formato teria sido modelado no de um seio feminino, e não em qualquer seio. Quando alguns pensam que a taça foi modelada nos atributos de Madame de Pompadour, amante de Luís XV, outros afirmam que seria na verdade o formato do seio de Maria Antonieta, esposa de Luís XVI. Infelizmente para a lenda, nenhum dos dois é responsável pelo formato do famoso recipiente.

Na realidade, esta forma bastante particular vem da Inglaterra.

Os ingleses, primeiros importadores de champanhe da história, sempre tiveram uma queda pelas bolhas francesas. O formato bastante clássico da taça de champanhe seria, portanto, inspirado no cálice, um vaso sagrado e taça preferida na Idade Média.

Porém o reinado da coupe de champagne não poderia durar, a observação é simples em relação à esse recipiente: ela é antiquada e não realça os aromas do vinho.

É, portanto, cada vez mais negligenciado pela moda, mas também porque não é recomendado para degustação. Seu formato, com abertura ampla, traz uma grande desvantagem: as bolhas e aromas escapam rapidamente. Portanto, você deve beber seu champanhe rapidamente se quiser manter todos os aromas, o que retira e muito a experiencia da apreciação da bebida.

Também é criticada por sua falta de praticidade. Em uma festa, por exemplo, a coupe é derrubada rapidamente ao minimo contato.

Flute de champanhe, a taça mais antiga

Embora a expressão “servir uma coupe de champanhe” ainda seja utilizada na França, ela não designa mais uma taça real. Não é incomum pedir uma “coupe de champanhe” e receber sua preciosa bebida em uma taça flute.

Mais uma vez, foram os ingleses que estiveram na origem, desde que a flute apareceu pela primeira vez na Inglaterra em 1750. Foi somente na era de Napoleão I que ela apareceu na França e se democratizou. A flute, mais longa e estreita, destaca a espuma e as bolhas do champanhe.

Ao contrário da coupe, a taça tem um formato mais estreito e alongado que permite que a bebida effervesce por mais tempo e revele seus aromas sutis.

A partir da década de 1930, a flute tornou-se a preferida dos amadores que a consideravam mais adequada às safras modernas.

Reims : a capital do champagne baniu a taça Flute

“Champanhe em taça reta não é champanhe!”. O gerente do “Bistro des Anges” em Reims é categórico. Em seu restaurante, ele nunca servirá champanhe em uma taça flute. Exceto as “flutes de tulipa”, que parecem pequenas taças de vinho. “Você tem que respeitar o champanhe! Antes de tudo é um vinho, então você realmente precisa de taças de vinho para degusta-lo”, afirma Jérôme Cailliez, que especifica que um recipiente esférico permite desfrutar plenamente dos aromas da bebida borbulhante.

Ele não é o único. Em Champagne, a tendência hoje é para os copos curvos entre os profissionais do setor, mas também entre os locais.

A taça tulipa

O período entre guerras viu o nascimento da verdadeira taça de champanhe, aquela que você deveria optar para ter uma experiencia completa na degustação da bebida.

Arredondada na base e estreito no topo, como uma tulipa.

Este formato especial permite arejar melhor a champanhe. Hoje, grandes casas como a Veuve Clicquot comercializam esse tipo de vidro para mostrar melhor suas safras.

A coupe de champanhe, embora rica em história, não é o melhor recipiente para desfrutar inteiramente um bom champanhe.

E embora a flute seja elegante, isso não compensa o fato de não permitir espaço suficiente para o gás se espalhar adequadamente. Para uma excelente experiencia com o champanhe, você deve, portanto, optar por taças em forma de tulipa. Lembrando que deve ser colocado 20 minutos no Freezer antes de servir e segurar o copo pela haste para não esquentar a sua deliciosa bebida!

Encontraremos fãs de todos os tipos diferentes de taças por razões estéticas, sentimentais ou de gosto. Porém, como você deve ter entendido, recomendamos a taça de vinho tipo tulipa para uma degustação ideal.

Em última análise, a escolha das taças por razões estéticas ou sentimentais depende de suas preferências individuais.

Se prefere uma experiência visual de bolhas subindo e concentração de aromas, a flute pode ser a escolha ideal.

Se preferir uma melhor interação com o ar para libertar os aromas, pode optar por uma coupe ou taça de vinho branco. Alguns degustadores experientes também podem escolher diferentes tipos de taças, dependendo do tipo específico de champanhe que sera apreciado.

O principal é escolher a taça que maximize o prazer pessoal da degustação. Santé !

Descubra o nosso roteiro de 3 dias para visitar a Champagne

Submit your review
1
2
3
4
5
Submit
     
Cancel

Create your own review

Descobrindo a Normandia
Average rating:  
 0 reviews

@descobrindoanormandia

Explore os encantos da Normandia conosco! Siga nosso Instagram @descobrindoanormandia para descobrir os segredos e maravilhas desta e de outras regiões! 🗺️✨ #DescobrindoANormandia